Pular para o conteúdo principal

De um jeito ou de outro são especiais

Eles te xingam, zombam de ti, gritam, falam coisas horrorosas. Às vezes, silenciam  quando na verdade era o momento exato de falar. Mas, de um jeito ou de outro, entre altos e baixos, eles fazem um bem inconfundível, um bem “danado” como diz minha Vó. É até difícil descrevermos tamanho carinho e consideração que temos aos nossos amigos, mais ainda escolher uma única data para simbolizar a amizade, ora logo àqueles que dia após dia partilham alegria, tristeza, amor, logo àqueles que têm a capacidade de “Sair de cena, sem deixar o espetáculo?”. (Hipocrisia mesmo é esquecer a data de aniversário de um amigo!), ‘‘balela” que valem as simples datas? Um dia a mais, outro a menos não mudará o laço benevolente de simbiose. Poxa, analisando ao pé da letra tenho tão pouco amigos, mas também estes são únicos e verdadeiros, os outros são só colegas que a vida trata de nomear “amigos” (este artigo não se reporta a eles). Os amigos verdadeiros, são na verdade a família que nós escolhemos, tem aqueles desde a infância, sim àquele amigo que te ajudava a passava trote todos os dias no orelhão da padaria, aquele que te ajudava a sair escondido de casa para jogar bola, mas também aquele que sempre te defendia na hora da briga. Porém, o destino trata de melhorar nosso dia-a-dia, e aparecem, os amigos da escola, estes são muito engraçados te fazem rir com uma coisa que nem graça tem, te colocam numa “saia justa” que você fica rindo sozinho no meio da aula, mas também estão de prontidão (para o que der e vier). Os amigos da vida, ah! Estes aparecem do nada para marcar a eternidade, eles são os “reguladores”, parecem chatos, mas são os mais sagazes.
E por fim, amigos se diferenciam, mas de um jeito ou de outro, branco ou preto, rico ou pobre. Eles são muito especiais!
Feliz dia do Amigo!
(Luis Felipe)

Comentários

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Frase Reflexiva: Ariano Suassuna

O justo e o justiceiro - Padre António Vieira

Que os juízes hão de ser humanos; por isso não veem Cristo julgar em quanto Deus, senão em quanto homem. A humanidade é o realce da justiça: entre o justo e o justiceiro há esta diferença - ambos castigam, mas o justo castiga e peza-lhe; o justiceiro castiga e folga. O justo castiga por justiça, o justiceiro por inclinação: o justo com mais vontade absolve, que condena; o justiceiro com mais vontade condena, que absolve. A justiça está entre a piedade e a crueldade: o justo propende a ser piedoso; o justiceiro para ser cruel. (Padre António Vieira)

Reflexão Bíblica: Tempo para tudo

       Para tudo há um momento e um tempo para tudo o que se deseja debaixo do céu: Tempo de nascer e tempo de morrer, tempo de plantar e tempo de arrancar plantas, tempo de matar e tempo de curar, tempo de destruir e tempo de edificar, tempo de chorar e tempo de rir, tempo de lamentar e tempo de dançar, tempo de atirar pedras, e tempo de ajuntá-las, tempo de abraçar e tempo de evitar o abraço, tempo de procurar e tempo de perder, tempo de guardar e tempo de atirar fora, tempo de rasgar e tempo de coser, tempo de calar e tempo de falar, tempo de amar e tempo de odiar, tempo de guerra e tempo de paz. (Eclesiastes 3, 1-8)